A Origem Do Dia Das "Mães" - Uma Linda História


A mais antiga comemoração dos dias das mães é mitológica. Na Grécia antiga, a entrada da primavera era festejada em honra de Rhea, a Mãe dos Deuses.
O próximo registro está no início do século XVII, quando a Inglaterra começou a dedicar o quarto domingo da Quaresma às mães das operárias inglesas. Nesse dia, as trabalhadoras tinham folga para ficar em casa com as mães. Era chamado de "Mothering Day", fato que deu origem ao "mothering cake", um bolo para as mães que tornaria o dia ainda mais festivo.

Nos Estados Unidos, as primeiras sugestões em prol da criação de uma data para a celebração das mães foi dada em 1872 pela escritora Júlia Ward Howe, autora de "O Hino de Batalha da República".
Mas foi outra americana, Ana Jarvis, no Estado da Virgínia Ocidental, que iniciou a campanha para instituir o Dia das Mães. Em 1905 Ana, filha de pastores, perdeu sua mãe e entrou em grande depressão. Preocupadas com aquele sofrimento, algumas amigas tiveram a idéia de perpetuar a memória de sua mãe com uma festa. Ana quis que a festa fosse estendida a todas as mães, vivas ou mortas, com um dia em que todas as crianças se lembrassem e homenageassem suas mães. A idéia era fortalecer os laços familiares e o respeito pelos pais.

Durante três anos seguidos, Anna lutou para que fosse criado o Dia das Mães. A primeira celebração oficial aconteceu somente em 26 de abril de 1910, quando o governador de Virgínia Ocidental, William E. Glasscock, incorporou o Dia das Mães ao calendário de datas comemorativas daquele estado. Rapidamente, outros estados norte-americanos aderiram à comemoração.


Finalmente, em 1914, o então presidente dos Estados Unidos, Woodrow Wilson (1913-1921), unificou a celebração em todos os estados, estabelecendo que o Dia Nacional das Mães deveria ser comemorado sempre no segundo domingo de maio. A sugestão foi da própria Anna Jarvis. Em breve tempo, mais de 40 países adotaram a data.


"Não criei o dia das mães para ter lucro"

O sonho foi realizado, mas, ironicamente, o Dia das Mães se tornou uma data triste para Anna Jarvis. A popularidade do feriado fez com que a data se tornasse uma dia lucrativo para os comerciantes, principalmente para os que vendiam cravos brancos, flor que simboliza a maternidade. "Não criei o dia as mães para ter lucro", disse furiosa a um repórter, em 1923. Nesta mesmo ano, ela entrou com um processo para cancelar o Dia das Mães, sem sucesso.

Anna passou praticamente toda a vida lutando para que as pessoas reconhecessem a importância das mães. Na maioria das ocasiões, utilizava o próprio dinheiro para levar a causa a diante. Dizia que as pessoas não agradecem freqüentemente o amor que recebem de suas mães. "O amor de uma mãe é diariamente novo", afirmou certa vez. Anna morreu em 1948, aos 84 anos. Recebeu cartões comemorativos vindos do mundo todos, por anos seguidos, mas nunca chegou a ser mãe.

Cravos: símbolo da maternidade

Durante a primeira missa das mães, Anna enviou 500 cravos brancos, escolhidos por ela, para a igreja de Grafton. Em um telegrama para a congregação, ela declarou que todos deveriam receber a flor. As mães, em memória do dia, deveriam ganhar dois cravos. Para Anna, a brancura do cravo simbolizava pureza, fidelidade, amor, caridade e beleza. Durante os anos, Anna enviou mais de 10 mil cravos para a igreja, com o mesmo propósito. Os cravos passaram, posteriormente, a ser comercializados.

No Brasil



O primeiro Dia das Mães brasileiro foi promovido pela Associação Cristã de Moços de Porto Alegre, no dia 12 de maio de 1918. Em 1932, o então presidente Getúlio Vargas oficializou a data no segundo domingo de maio. Em 1947, Dom Jaime de Barros Câmara, Cardeal-Arcebispo do Rio de Janeiro, determinou que essa data fizesse parte também no calendário oficial da Igreja Católica.




(Fonte: Portal da Família)



Gostou desta postagem, deixe seu comentário
Assine nossa Newsletter Assine nossa Newsletter Siga-nos diHITT Facebook Twitter

9 comentários:

  1. Adorei saber!! Nunca tinha pensado nisso!
    Abs
    Carla

    ResponderExcluir
  2. Oi Madre,
    Não sabia. Gostei muito de aprender mais um pouquinho...
    Ah! valeu por seguir as minhas notícias.
    Grande abraço.

    ResponderExcluir
  3. adorei a postagem
    nao conhecia
    vou colocar no meu blog com o teu link
    já estou te seguindo
    abs....

    ResponderExcluir
  4. Mãe é sagrada! Adorei saber mais da origem!

    ResponderExcluir
  5. Mad,

    Que história magnífica meu amigo!

    Confesso que eu não sabia a origem do dia das mães, e achei muito interessante o simbolismo do cravo branco, pois esta flor é uma das minhas preferidas, e só de estar aqui escrevendo, consigo lembrar do perfume que o cravo branco exala, mas é uma pena que não conseguimos encontrar mais cravos brancos com antes.

    Foi emocionante essa sua postagem, pois você conseguiu homenagear a todas as mães de uma maneira bem diferente, e com um toque mágico, inebriante mesmo.

    Aproveitando sua linda postagem, quero deixar um poema muito lindo, pelo espírito de Maria Dolores.

    MÃE QUERIDA

    Torno a ver, nos meus dias de criança,
    O teu regaço, a lamparina acesa,
    O pequeno lençol que trago na lembrança,
    A oração da manhã e o pão à mesa...

    Varro o chão, a fitar-te as mãos escravas,
    Afagando o fogão, de momento a momento...
    A roupa e o batedouro em que cantavas
    Para esquecer o próprio sofrimento...

    Depois, era o tinir da caçarola,
    Aumentando a despesa no armazém...
    Vestia-me de renda para a escola
    E nunca me lembrei de ofertar-te um vintém.

    Cresci... A mocidade me requesta,
    Ante a cidade de qualquer maneira...
    Parti... - eu era a rosa para a festa,
    Ficaste... - eras a rústica roseira.

    De tudo vi na estrada grande e nova,
    As flores no prazer, o brilho, a fama,
    A malícia dourada e os suplícios da prova
    Marcando o pranto e fel os passos de quem ama...

    Hoje, volto a buscar-te, mãe querida,
    Dá-me de tua paz sem ilusão,
    Guarda-me em ti, amor de minha vida,
    Alma querida de meu coração. (Maria Dolores)

    (Mensagem recebida pelo médium Francisco Cândido Xavier, em reunião pública do Grupo Espírita da Prece, na noite de 9 de março de 1985, em Uberaba - MG)

    Adorei!

    Bjs.

    Ro.

    ResponderExcluir
  6. Muito interessante! Não sabia da origem do nosso dia!
    Obrigada!
    Beijos,
    Jackie

    ResponderExcluir
  7. Que interessante, agradeço, como mãe e filha, a bela postagem que nos brindou! Somos seres mitologicos, representadas simbologicamente, afetuosamente, continuamente.

    ResponderExcluir
  8. adoro o dias das para mim é uma data muito importante eu amo o dia das deusas e princesas

    ResponderExcluir
  9. valéria marques timoteo7 de mai de 2012 18:33:00

    eu adoro o dia das mães para mim é uma data muito impotante eu amo o dia das deusas porque realmente nossas mães são uma deusas

    ResponderExcluir

TODOS OS COMENTÁRIOS SERÃO MODERADOS
- Não serão aceitos comentários que contenham qualquer tipo de discriminação, racismo, ou apologias.
- Não coloque links nos comentários.
- Faça seu comentário relativo ao artigo apresentado.
- Grato pela compreensão.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Real Time Web Analytics